Treino intervalado para gordura abdominal é mais efetivo com música

Treino intervalado para gordura abdominal é mais efetivo com música

Especialistas das melhores universidades do mundo atestam que treino intervalado para gordura abdominal gera mais benefícios quando praticado com música.

Treino intervalado para gordura abdominal pode ser ainda mais emagrecedor quando você pratica escutando aquele som que não sai da sua cabeça e te deixa super feliz.

De modo provável, você ouviu tudo sobre os benefícios do treinamento de intervalo de alta intensidade (HIIT).

Mas se a “alta intensidade” soa um pouco intensa demais, um novo estudo tem alguns conselhos para você: Pegue seus fones de ouvido, pois sem dúvidas é uma ferramenta que faz a diferença no processo de emagrecimento.

q48

q48

q48

Música e treino intervalado para gordura abdominal

Quando os pesquisadores da Universidade da Columbia Britânica (UBC) pediram que as pessoas que eram novas no HIIT tentassem um treino intervalado de sprint, com ou sem música, ambos os grupos malharam dentro de atitudes positivas.

Mas, participantes que suavam escutando uma lista de reprodução se sentiam ainda melhor sobre a rotina do que aqueles que haviam trabalhado em silêncio no treino intervalado para gordura abdominal à base de sprint.

Treino intervalado para gordura abdominal com música é mais animado

Ouvir música pode tornar mais fácil para as pessoas adotarem esses tipos de rotinas HIIT, dizem os autores do estudo. Sons musicais ajudam aos atletas permanecerem em forma, acrescentam, permitindo-lhes realizar exercícios curtos e eficazes nos dias ocupados.

Muitas pessoas se exercitam regularmente, mas fazem cardio no estado estacionário (como corridas longas e lentas) ou atividade de baixa intensidade (andar, ioga, etc.).

E enquanto não há nada de errado com esses tipos de exercício, a investigação mostrou que o intervalo de formação fornece muitos dos mesmos benefícios, como a queima de calorias e fortalecer o coração em menos tempo.

“Tem havido muita discussão nos mundos de exercícios e políticas públicas sobre como podemos tirar as pessoas do sofá e cumprir os requisitos mínimos de exercício”, disse Kathleen Martin Ginis, PhD, professora de ciências da saúde e exercício na UBC, num Comunicado de Imprensa.

“O uso do HIIT pode ser uma opção viável para combater a inatividade, mas há uma preocupação de que as pessoas possam achar o HIIT desagradável, dissuadindo a participação futura”. Mas, uma musiquinha torna tudo mais animado!

Por dentro do estudo de Kathleen Martin Ginis e Matthew Stork

Para examinar as atitudes e intenções dos novatos em relação ao HIIT treino intervalado para gordura abdominal, os pesquisadores recrutaram 20 homens e mulheres não familiarizados com esses tipos de exercício.

Após duas sessões preliminares de treino, os participantes completaram seus treinos de sprint nas bicicletas ergométricas estacionárias, em uma semana – um grupo com música e outro sem sonoridade musical.

Cada sessão incluiu de quatro a seis sessões de pedalada de 30 segundos, todas separadas por 1 minuto de repouso.

Após cada sessão e novamente depois de uma reunião final de acompanhamento, os participantes foram convidados a classificar tais exercícios em termos como: agradável, benéfico, doloroso e valioso.

Em média, os participantes já haviam expressado suposições positivas sobre o HIIT antes de começar o estudo. E acontece que suas atitudes ficaram ainda mais positivas depois de fazer o treinamento.

Isso foi um tanto surpreendente, diz o autor do estudo e candidato a PhD, Matthew Stork, dada a intensidade dos exercícios.

Mas há mais: Em geral, os praticantes classificaram a sessão com música como mais positiva do que as sessões sem musicalidade.

Música é alegria

Um tanto surpreendentemente, os escores de “intenção” dos participantes (quando perguntados se continuariam esses tipos de exercícios) não foram significativamente diferentes entre as duas sessões.

No entanto, os autores escreveram: usar a música para melhorar o prazer e a atitude em relação ao HIIT “pode eventualmente se traduzir em intenções de exercícios aprimoradas [intervalo de sprint] com o passar do tempo”.

Também é possível, eles admitem, que o impulso de atitude fornecido pela música realmente não foi suficiente para melhorar significativamente as intenções dos participantes. Mas, pelo menos, diz Stork, adicionar músicas para um treino difícil provavelmente não vai doer.

“Para as pessoas ocupadas que estão relutantes em tentar o HIIT pela primeira vez, essa pesquisa nos diz que elas podem realmente gostar”, fala Stork, e, “serem mais propensas a participar do HIIT se tentarem com música novamente”.

O estudo foi publicado no Journal of Sport Sciences. Os participantes escolheram suas próprias músicas e as seleções variaram extensamente, diz Stork, embora a maioria tenha selecionado canções otimistas.

Isso faz sentido, diz ele, já que a música com ritmos rápidos mostrou facilitar o aumento da velocidade em estudos de exercícios anteriores.

O poder de Hiit com música

Apenas três sessões intensas de 10 minutos por semana proporcionam benefícios significativos para a saúde, indica Stork, que também é profissional certificado de força e condicionamento.

Se as pessoas podem incorporar esse exercício na rotina regular, ele acrescenta, então necessariamente não têm que temer sobre os “150 minutos semanais”.

Não se pode ignorar o fato de que a American Heart Association recomenda pelo menos 150 minutos de exercício moderado, ou, 75 minutos de exercício vigoroso, por semana, para uma pessoa viver com bem-estar.

Conclusão: treino intervalado para gordura abdominal

Ouvir música facilita às pessoas adotarem regimes de exercício de curta duração.

O HIIT é uma estratégia de exercícios eficiente no tempo que permite que as pessoas se envolvam em curtos períodos de exercício anaeróbico intenso separado por períodos de recuperação menos intensos.

Treino intervalado para gordura abdominal é distinto do exercício aeróbico de longa duração mais tradicional, como, correr continuamente por 50 minutos, por exemplo.

“Tem havido muita discussão de exercícios e políticas públicas no mundo sobre como podemos tirar as pessoas do sofá e satisfazer suas exigências mínimas de exercício”, diz Martin Ginis, professor de saúde e ciências.

“O uso do HIIT é uma opção viável para combater a inatividade, mas há uma preocupação de que as pessoas possam achar desagradável, dissuadindo a participação futura”, conclui Ginis.

Para a surpresa de Ginis, a cada dia os pesquisadores descobrem que os participantes de múltiplas sessões HIIT não só gostam do exercício, mas mantém atitudes positivas para se engajarem no HIIT novamente ao futuro se a prática acontece com música.

“Nossa pesquisa visou aprender mais sobre as percepções das pessoas para HIIT, e, finalmente, determinar se as podem aderir a estes tipos de exercícios no longo prazo”, diz Stork.

“Com a introdução do exercício HIIT, as pessoas podem não necessariamente gostar do total de 150 minutos semanais, mas o treinamento fica menos penoso quando há música junto com as práticas”, conclui Stork.

Assim como American Heart Association, de acordo com as recomendações de exercícios tradicionais da Sociedade Canadense de Fisiologia do Exercício, adultos de 18 a 64 anos devem acumular um mínimo de 150 minutos de exercício, de moderado a vigoroso, por semana.

Neste sentido, não tenha dúvidas, coloque o fone de ouvido antes de ir para a academia.

Outra medida que aumenta o desempenho fitness é escutar música em casa um pouco mais alta do que o convencional apenas para praticar alguns minutos de abdominais, flexões entre outros treinos físicos HIIT.

Contudo, independente se há ou não música, de uma coisa você pode ter a máxima certeza: treino intervalado para gordura abdominal em alta intensidade é a melhor escolha no intuito de perder barriga, e, conquistar a sonhada barriga negativada e uma linda cinturinha de pilão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *