Quase 70% da pele ressecada em diabéticos pode ter celulite

Especialista indica que quase 70% da pele ressecada em diabéticos pode desenvolver a presença de celulites – o que requer métodos de tratamento.

Quase 70% da pele ressecada em diabéticos pode ter celulite

Especialista diz que quase 70% da pele ressecada em diabéticos pode se transformar em celulite – uma infecção bacteriana que se espalha para todo o corpo e à corrente sanguínea.

Segundo a indiana Meena Chhabra, celulite se torna perigosa porque destrói os tecidos e leva às bactérias a se espalharem através de corrente sanguínea para todas as partes do corpo, aumentado o índice de pele ressecada em diabéticos.

Chhabra diz que a razão para diabéticos serem mais propensos à celulite é porque têm um sistema imunitário deficiente, que com o tempo se torna mais pobre e menos resistente às quebras de pele.

“Durante a diabetes, o aumento da glicose causa problemas como mau controle do nível de glicose no sangue, permitindo às bactérias crescerem mais rápido no tecido afetado por entrarem na corrente sanguínea. Portanto, não é fácil de tratar a celulite entre os doentes diabéticos”, afirma Chhabra.

Pele ressecada em diabéticos, celulite e métodos de tratamento

Falando sobre o processo de tratamento para celulite em pacientes diabéticos, Junaid Azim Khan, um especialista do Ram Manohar Lohia Hospital, diz que a celulite quando tratada mais cedo diminui os sintomas.

Por outro lado, atrasar o tratamento da celulite na pele ressecada em diabéticos aumenta os sintomas como inchaço, vermelhidão, pus, entre outros problemas.

A celulite leva à gangrena se não tratada, passível de amputação em partes do corpo. Bactérias da celulite se tornam parte da corrente sanguínea e afeta outros órgãos internos, diz Khan.

Khan indica: “Normalmente, uma série de antibióticos é administrada ao paciente com diabetes. Isso acontece porque leva algumas semanas ou até meses para os efeitos serem visíveis contra as celulites. Sempre siga as instruções de prescrição certa em tomar antibióticos, do contrário todo o plano de regime não gera resultados confiáveis”.

Os antibióticos orais são fornecidos aos pacientes cuja infecção não se espalhou para o sistema de circulação sanguínea. A medicação pode ser administrada via intravenosa ou injeção, conclui Khan ao comentar sobre pele ressecada em diabéticos e celulites.

Existem outros métodos de tratamento mais naturais, que não requer sofrimento ou dor, para resolver problemas na pele. Conheça o Vencendo a Celulite, uma metodologia de um médico especialista que traz resultados rápidos e seguros.

celulite-em-diabéticos

como-diminuir-as-celulites-nas-pernas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *